Lambe-lambe e o grafite: intervenção artística no espaço escolar

No quarto bimestre, as turmas do primeiro ano do Ensino Médio foram apresentados à arte urbana. Os alunos puderam observar as várias formas de intervenção urbana que acontecem na cidade, dentre elas o lambe-lambe. O lambe-lambe é uma vertente de arte de rua, assim como o grafite, a pichação, os stickers e outros, que utiliza cartazes feitos de diferentes maneiras – com serigrafia, xilogravura, xerox, impressão, desenhados ou pintados à mão, de acordo com o interesse de quem os faz – e são colados em espaços públicos a fim suscitar uma reflexão artístico-filosófica. Inspirados nessa nova expressão artísticas e em diálogo com a frase "Que tempos são estes, em que temos que defender o óbvio?",

A paisagem sonora e as cenas da cidade

Os alunos do segundo ano/Unidade Tijuca observaram algumas imagens de paisagens e elaboraram, a partir de um debate, o conceito de "paisagem sonora". Desta maneira, puderam perceber e entender como o conceito de paisagem sonora se relaciona com a paisagem visual e como também se modifica, de acordo com a época, com o dia da semana, e até de acordo com a hora do dia. Depois foram apresentados a fotografias de uma feira livre, de uma fazenda, de um estádio de futebol e do interior de uma fábrica. Então, dividido em equipe de trabalho, criaram a paisagem sonora para a imagem sorteada. Os grupos tinha à disposição instrumentos de percussão e sopro, além da voz e do uso dos sons corporais. Confi

Marina Abramovich: a performance artística na escola

A artista Marina Abramovich foi a artista inspiradora para as atividades do 4º bimestre. Marina Abramovic (Sérvia, 1946) iniciou-se no mundo artístico no inicio dos anos 70. Atualmente é considerada a mais importante artista no âmbito de arte-performance. Nos seus trabalhos usa o seu próprio corpo como meio, técnica e tema expondo-o a limites físicos e mentais. As performances sempre com temáticas chocantes e dramáticas conduzem o espectador à uma reflexão sobre a vida e a morte, a relação entre corpo e espaço, a relação entre público e artista e a arte. Foi pensando nessa outra maneira de se expressar artisticamente e de provocar a reflexão do expectador que os alunos, divididos em grupos d

Curta na escola: diálogos entre arte e tecnologia

No 4º bimestre, as turmas do 8º ano foram convidados a pesquisar os possíveis diálogos das artes cênicas e a tecnologia. Assim, foram convidados a criar curtas-metragens gravados com celular. Nesse trabalho os alunos foram responsáveis por todo o processo: roteiro, pré-produção, filmagem e edição. A novidade nessa atividade está na utilização de câmeras, no aprendizado do conceito como "planos/contra planos" e "tomadas", e na utilização da ferramenta do editor de vídeos. Os roteiros e as decisões tomadas quanto aos elementos de direção de arte e figurinos foram desenvolvidos completamente pelos alunos. Os jovens se dividiram e o resultado foi muito engraçado e criativo. #4ºBimestre #artee

Aula aberta: alunos e responsáveis experienciando teatro

O 5º ano da Unidade Méier encerrou o ano letivo de uma maneira diferente, partilhando os aprendizados e as experiências vividas em uma aula aberta com a participação dos pais. Para isso, os alunos, coletivamente, relembraram os jogos e exercícios realizados ao longo do ano e escolheram aqueles que gostariam de fazer com os responsáveis. Começamos nossa aula com uma caminhada no espaço, explorando diferentes propostas de ambiente para se andar, também ocupamos o espaço a partir de números com comandos como, andar em câmera lenta, pular e agachar. Em seguida fizemos o "Zip, zap, boing", um jogo em roda, no qual foi trabalhado nossa atenção. Após esse momento inicial conduzido pela prof

Deixe sua
mensagem

© 2017. Todos os direitos são reservados

Concepção e criação do projeto  Janaína Russeff

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now